InícioPortalCalendárioFAQRegistrar-seConectar-se
Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Últimos assuntos
» Onde e Aonde
Qua Jul 06, 2011 7:17 am por Edvaldo Feitosa

» VENTO
Qua Abr 27, 2011 5:46 am por Odir, de passagem

» Quadra - Parabéns São Paulo
Ter Fev 08, 2011 2:28 am por Vilma Piva

» OUTONO - I - II - III
Ter Jan 25, 2011 2:55 pm por Vilma Piva

» FUGA / SOLIDÃO
Ter Jan 25, 2011 2:46 pm por Vilma Piva

» Folhas I
Dom Jan 23, 2011 9:38 am por Marli Franco

» Ausência
Dom Jan 23, 2011 9:35 am por Marli Franco

» DEUS NASCEU NO EXÍLIO
Sab Jan 01, 2011 5:21 pm por Vilma Piva

» COMIDAS DE ANO NOVO
Seg Dez 27, 2010 3:01 am por Vilma Piva

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Fórum
Parceiros

Compartilhe | 
 

 Um Dia como o Domingo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Damião Cavalcanti
Amigo Bronze
Amigo Bronze
avatar

Data de inscrição : 03/07/2009
Localização : JOÃO PESSOA - PARAÍBA

MensagemAssunto: Um Dia como o Domingo   Sab Out 02, 2010 2:00 pm

Um Dia como o Domingo


O dia da eleição tem cara de domingo. Foi assim que este dia ganhou fisionomia desde meus tempos de menino. Ora a Rua José Lins do Rego estava cheia, como um formigueiro ou fim de missa; ora vazia, como a hora do almoço ou o momento do descanso do dia sem trabalho. Embora Deus tenha criado os sete dias da semana, cada um recria o domingo como quer. Além disso, fatos, como copas e carnavais, transtornam este dia sereno. Logo cedo, antes das urnas, chegava ao Mercado a comida para os eleitores que vinham do campo, mas nunca deixavam de almoçar os penetras da cidade, com a justificativa de que “eleição é eleição e com muita fartura”. As carroças, puxadas por boi, descarregavam quartos e costelas nas costas suadas de homens sem camisa, em cuja pele ficava a marca do sangue do abate bovino. Enquanto Dona Biu Sambola não guisava a carne, os eleitores, sem casa na cidade, quebravam o jejum em alguma das bodegas: uma banda de pão amanteigada com um caneco de um ralo café, “coado no susto”; uns bebiam, escondidos da proibição, aguardente sem nada comer; outros, de cócoras, fumavam cigarro de palha.

Em Pilar, tudo se fazia na praça, na Igreja, na Prefeitura, no Grupo Escolar ou, sobretudo, no Mercado Público, inclusive as eleições. Pelos becos ou sob os fícus, aos cochichos, riscavam pequenas cédulas, semelhantes as que iriam para as urnas de madeira, quando se cumpria o ato solene de votar. Certos homens da cidade portavam paletó e, engravatados, ainda punham chapéu panamá ou de goma. Os matutos vestiam mescla azul, caqui da cor da farda da polícia ou simples “manipolão” branco (tecido “made in Polen”, de uso popular na agricultura), com chapéus de palha presos por um cordão ao pescoço, iguais aos que passavam em pau de arara para cumprir promessa em São Severino dos Ramos, para os lados de Pernambuco, nas imediações de Carpina.

E, assim, os matutos atingiam o destino iniciado nas suas distantes casas, colocando na urna o pequeno papel que simbolizava muitas promessas, decepções, esperanças ou apenas cega obediência à ordem dos chefes políticos. Os resultados eram os previstos por estes chefes. Hoje, a previsão é a das pesquisas; os rurícolas não chegam de cavalo, mas de moto e desacompanhados de cabos eleitorais; a troca de voto por dinheiro ou por qualquer bem ou benefício, caso seja vista, fica à espera da denúncia, da decisão da justiça, para deletar votos arquivados na urna eletrônica a favor do eventual candidato “ficha suja”. Tempos mudam. Contudo, cada vez mais o dia da eleição, como era naquele tempo, se parece com o domingo.


Damião Ramos Cavalcanti


www.drc.recantodasletras.com.br
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vilma Piva
Amigo Diamante
Amigo Diamante
avatar

Data de inscrição : 02/07/2009
Localização : Araras - SP

MensagemAssunto: Re: Um Dia como o Domingo   Dom Out 03, 2010 4:28 pm

Parabéns pela crônica, Damião! Vem de longe em dias de eleição essa cara de filas bóias em dias de domingo... Infelismente permanecem os "cabrestos" e a cara dessa suposta informalidade de muitos outros “quitutes” na barganha de um voto.
Bravos!!

Beijos,
vilma
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Um Dia como o Domingo
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
ESPAÇO CULTURAL PARA OS AMANTES DA POESIA  :: VARANDA POÉTICA :: SALA DA PALAVRA :: Crônicas-
Ir para: