InícioPortalCalendárioFAQRegistrar-seConectar-se
Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Últimos assuntos
» Onde e Aonde
Qua Jul 06, 2011 7:17 am por Edvaldo Feitosa

» VENTO
Qua Abr 27, 2011 5:46 am por Odir, de passagem

» Quadra - Parabéns São Paulo
Ter Fev 08, 2011 2:28 am por Vilma Piva

» OUTONO - I - II - III
Ter Jan 25, 2011 2:55 pm por Vilma Piva

» FUGA / SOLIDÃO
Ter Jan 25, 2011 2:46 pm por Vilma Piva

» Folhas I
Dom Jan 23, 2011 9:38 am por Marli Franco

» Ausência
Dom Jan 23, 2011 9:35 am por Marli Franco

» DEUS NASCEU NO EXÍLIO
Sab Jan 01, 2011 5:21 pm por Vilma Piva

» COMIDAS DE ANO NOVO
Seg Dez 27, 2010 3:01 am por Vilma Piva

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Fórum
Parceiros

Compartilhe | 
 

 A simpatia.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Domfiuza
Amigo
Amigo


Data de inscrição : 02/07/2009

MensagemAssunto: A simpatia.   Ter Jul 07, 2009 6:55 am

A simpatia.

Autor: Daniel Fiúza
08/01/2001

Um barulho de chave abrindo a porta despertou Teresa; Era o barulho tradicional que fazia Jairton ao chegar. Eram umas quatro horas da manhã; E mais uma vez o marido dela chegava da esbornia, totalmente embriagado. Ao entrar em casa, colidia com tudo pela frente, fazia um barulhão danado, e acordava toda a vizinhança, que apesar de se chatear, até já estava acostumada com o barulho. Teresa Clementina, parece que tinha esse sobrenome a caráter; Casada com Jairton há vinte anos, e sempre agüentando as bebedeiras do marido; As marcas de batom; as manchas esquisitas no pescoço dele; Que o espertinho jurava ser apenas alergia. Coisas que Teresa engolia para evitar briga e discussão. Jairton no dia seguinte, sempre arranjava uma boa desculpa, jurava que nunca mais beberia nem chegaria tarde em casa, Teresa aceitava por conveniência, e por clemência, era uma mulher religiosa, e sempre falava que casamento era para as boas e más horas, e sempre acreditava que um dia ele pararia com essas farras. Além do mais, jairton era um bom pai, as filhas o adoravam, o casal tinha três filhas lindas, que sempre ficavam neutras nos assuntos do casal. Um dia Teresa Clementina ao sair da missa das oito, encontrou Nilce, uma velha amiga de infância; Foi uma festa, as duas se dirigiram para um barzinho próximo e foram tomar café juntas. Falaram de vários assuntos, lembraram os bons tempos, e finalmente chegaram ao assunto inevitável; o casamento e os respectivos maridos. Nilce contou que se separou do primeiro marido, e que agora vivia bem com o segundo, havia deixado o primeiro quando descobrira que ele tinha uma amante. Teresa Clementina se animou a contar seu calvário para a amiga, contou das farras de jairton, da desconfiança que tinha de outra mulher, mas disse que mesmo assim não queria se separar do marido, pois além de amá-lo muito, tinha uma posição firme de insolubilidade do casamento. Nilce achou bonita a firmeza da amiga e disse que poderia ajudá-la de outra forma. E perguntou-lhe: - Você se lembra da Socorrinha?
- Aquela que tem os olhos verdes, que era apaixonada pelo Samuel. - lembra? Lembro sim! Disse Teresa. - O que tem ela a ver comigo? - Tudo a ver! Exclamou Nilce empolgada. - Ela tinha o mesmo problema que você. – Tinha? Perguntou Teresa super interessada. - Pois é amiga, tinha! Reafirmou Nilce. - Ensinaram para ela uma simpatia que deu resultado, Coisa simples de fazer! Teresa Clementina, logo quis saber se Nilce poderia passar a simpatia para ela, e perguntou: - Você pode me falar como se faz essa milagrosa simpatia? – Claro! Até tenho aqui na bolsa um papel onde está escrito direitinho como se faz! Abriu a bolsa, pegou o papel e foi logo lendo para a amiga. Seguinte amiga: - Quando o jairton chegar bêbado, você espera ele ferrar bem no sono, e amarra uma fita vermelha com uma medalhinha de São Judas Tadeu, no pinto dele. Faz um laço, e espera o bicho acordar, então; Você faz uma pergunta para ele, se ele não souber responder, é porque está curado. Depois disso, as duas se despediram, trocaram números de telefones, deram o tradicional beijinho e foram cada uma para sua casa. Teresa comprou uma linda fita vermelha de seda, e uma medalhinha de São Judas Tadeu, e aguardou o próximo, porre do marido, o que não demorou muito. Uns três dias depois do encontro, jairton chegou da farra, sempre no estado lastimável de embriagues; Cheio de manchas, sempre fazendo um barulhão, acordando a vizinhança. Depois de uns vinte minutos ele já estava desmaiado, roncando feito um porco. Teresa Clementina foi lá, despiu o marido, e amarrou a fita vermelha de seda junto com a medalhinha no pinto dele, fazendo um bonito laço. Assim que sentiu que o marido ia acordar, correu para o quarto, esperou ele estar bem desperto e perguntou: - Onde o senhor esteve ate às quatro da manhã? E ficou esperando ansiosa pela resposta do marido. Jairton olhou meio desconfiado para aquele laço vermelho, com uma medalhinha pendurada no seu pinto, e disse: - Olha querida! Não me lembro bem onde estive ontem à noite! - Mas com certeza tirei o primeiro lugar.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vilma Piva
Amigo Diamante
Amigo Diamante
avatar

Data de inscrição : 02/07/2009
Localização : Araras - SP

MensagemAssunto: Re: A simpatia.   Qua Jul 08, 2009 4:55 am

affraid rsrsrsrsss Depois desse cômico final impossivel não rir prá valer...
Tem simpatia que nem o santo ajuda....rsrsrsrssssss Razz
Parabéns pelo teu belo conto !!!

Beijos Lindos,
Vilma
Voltar ao Topo Ir em baixo
Elaine
Amigo Bronze
Amigo Bronze
avatar

Data de inscrição : 04/07/2009
Localização : Monterrey México - - - Sao Paulo Brasil

MensagemAssunto: Re: A simpatia.   Qua Jul 08, 2009 5:22 am

ahahaha

Excelente,
ganhou o primeiro lugar Dom Fiuza!
muito divertido seu trabalho...

um abracao poetico,

Elaine
Voltar ao Topo Ir em baixo
Marli Franco
Amigo Diamante
Amigo Diamante


Data de inscrição : 03/07/2009
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: A simpatia.   Seg Jul 20, 2009 1:57 am

Daniel

Querido Poeta , domingo de frio eu aqui voando no jardim e olha onde vim nesta Simpatia ímpar , com um final incrível!

Eu que pensava que medalinha de santo só amarrava no pulso eh ! rs

maravilhosa criação , tuas linhas prende atençaõ do começo ao final caríssimo.


um beijo de violetas e meu carinho
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: A simpatia.   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
A simpatia.
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
ESPAÇO CULTURAL PARA OS AMANTES DA POESIA  :: VARANDA POÉTICA :: SALA DA PALAVRA :: Contos Curtos-
Ir para: