InícioPortalCalendárioFAQRegistrar-seConectar-se
Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Últimos assuntos
» Onde e Aonde
Qua Jul 06, 2011 7:17 am por Edvaldo Feitosa

» VENTO
Qua Abr 27, 2011 5:46 am por Odir, de passagem

» Quadra - Parabéns São Paulo
Ter Fev 08, 2011 2:28 am por Vilma Piva

» OUTONO - I - II - III
Ter Jan 25, 2011 2:55 pm por Vilma Piva

» FUGA / SOLIDÃO
Ter Jan 25, 2011 2:46 pm por Vilma Piva

» Folhas I
Dom Jan 23, 2011 9:38 am por Marli Franco

» Ausência
Dom Jan 23, 2011 9:35 am por Marli Franco

» DEUS NASCEU NO EXÍLIO
Sab Jan 01, 2011 5:21 pm por Vilma Piva

» COMIDAS DE ANO NOVO
Seg Dez 27, 2010 3:01 am por Vilma Piva

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Fórum
Parceiros

Compartilhe | 
 

 VIDA DOS VIVOS, VIDA DOS MORTOS

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Damião Cavalcanti
Amigo Bronze
Amigo Bronze
avatar

Data de inscrição : 03/07/2009
Localização : JOÃO PESSOA - PARAÍBA

MensagemAssunto: VIDA DOS VIVOS, VIDA DOS MORTOS   Qua Out 28, 2009 4:27 pm

Damião Ramos Cavalcanti

Vida dos vivos, vida dos mortos

O movimento, além do nascimento e da morte, é propriedade do que tem vida. Ao contrário do vivente, o não vivente não se movimenta, igualando-se à pedra que é movimentada quando sacudida ou rolada ladeira abaixo. Ora, tudo que se movimenta ganha alguma direção. Isso vale dizer que, de modo análogo, nossas vidas tomam alguma direção. Daí, enquanto vivemos, uma pergunta meditativa se impõe: qual é o sentido da vida?

O sentido da vida constitui um questionamento filosófico acerca do significado da existência humana. Assim pensando, cada vida não nasce com um sentido determinado, porém deverá tê-lo. Parece até se correlacionarem nossos primeiros passos com o sentido que a vida, ao caminhar, vai ganhando. Curto caminho. Nessa brevidade, os que já se foram tiveram o devido tempo para idealizarem o sentido das suas vidas. Contudo, todos os seres humanos, de alguma forma, procuraram, muito ou pouco, este significado. Na verdade, embora se procurando muito esse sentido, o que se busca jamais será completamente desvendado.

Assim como o rio precisa das margens para darem destino às águas, o homem, sem perder a liberdade, necessita do que o direcione e que ele encontre nesse ideal uma força impulsora à sua realização como ser humano. O filósofo Santo Agostinho prediz que toda vida “desordenada torna-se seu próprio castigo”. Manifesta-se aqui uma necessidade impreterível de se ter um ideal que alimente nossas ações e as livre de serem um contínuo fazer sem sentido. De modo que a ausência de um ideal resulta numa perda de rumo e também numa despersonalização progressiva da ação humana. Nós que caminhamos e ainda podemos andar muitos passos cuidemos para que não sejam fora do caminho, do sentido da nossa existência. Subsequentes à pergunta inicial, surgem várias questões. Mas, a principal delas não é perguntar o que você faz na vida, mas o que você faz da sua vida.
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
VIDA DOS VIVOS, VIDA DOS MORTOS
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
ESPAÇO CULTURAL PARA OS AMANTES DA POESIA  :: VARANDA POÉTICA :: SALA DA PALAVRA :: Crônicas-
Ir para: