InícioPortalCalendárioFAQRegistrar-seConectar-se
Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Últimos assuntos
» Onde e Aonde
Qua Jul 06, 2011 7:17 am por Edvaldo Feitosa

» VENTO
Qua Abr 27, 2011 5:46 am por Odir, de passagem

» Quadra - Parabéns São Paulo
Ter Fev 08, 2011 2:28 am por Vilma Piva

» OUTONO - I - II - III
Ter Jan 25, 2011 2:55 pm por Vilma Piva

» FUGA / SOLIDÃO
Ter Jan 25, 2011 2:46 pm por Vilma Piva

» Folhas I
Dom Jan 23, 2011 9:38 am por Marli Franco

» Ausência
Dom Jan 23, 2011 9:35 am por Marli Franco

» DEUS NASCEU NO EXÍLIO
Sab Jan 01, 2011 5:21 pm por Vilma Piva

» COMIDAS DE ANO NOVO
Seg Dez 27, 2010 3:01 am por Vilma Piva

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Fórum
Parceiros

Compartilhe | 
 

 O AMOR DO REVERENDO

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Damião Cavalcanti
Amigo Bronze
Amigo Bronze
avatar

Data de inscrição : 03/07/2009
Localização : JOÃO PESSOA - PARAÍBA

MensagemAssunto: O AMOR DO REVERENDO   Qua Out 28, 2009 4:52 pm

Damião Ramos Cavalcanti



O Amor do Reverendo



Fui presenteado pela autora com o livro “O Amor do Reverendo”. O prefaciador, Padre Waldemir Santana, elogia integralmente a obra de Irene Dias e afirma que ela “produz uma realidade possível”, do que discordo. Trata-se de realidade mais que possível, acontecida, acontecendo e que acontecerá, enquanto houver celibato obrigatório aos que optarem pelo ministério sacerdotal. Duas opções devem ser separadas: a do sacerdócio e a do celibato. Esta última é opcional a qualquer cidadão, por foro íntimo ou por dedicação exclusiva à vida religiosa. Daí se conclui “a possível” coexistência de padres casados e não casados no exercício do ministério e magistério da Igreja. Um dia assim será...

O romance se desenrola com duas principais personagens: o Padre Abraão e a jovem Maria Luísa que, voltando para casa, ao desmaiar na saída do Colégio das Neves, é vista caída ao solo, sendo socorrida pelo citado reverendo. Assim, nasce o romance entre os dois, o que, na época, ainda era tomado como escândalo. E, por aí, segue o enredo. Há outros livros sobre o assunto. Destaco os da paixão e perseverante amor entre Abelardo e Heloísa, no século XII. O jovem filósofo celibatário se dedicava à origem da Sorbonne, na “Île de la Cité”, em Paris, como já sucedia em Bologna e em Salamanca, depois imitadas por toda Europa.

Uma noite, o tio de Heloísa, Fulberto, descobriu o amor escondido entre ela e Abelardo; castrou o jovem professor e internou a sobrinha, como freira, num convento distante de Paris. Contudo, separados, vendo-se apenas poucas vezes como religiosos de votos e juramentos, nunca deixaram de se amar até o dia da morte. Nutriam um amor sublimado, sem contatos físicos, o que bem analisa o psicanalista e filósofo Zeferino Rocha, no seu livro “Paixão, violência e solidão – O drama de Abelardo e Heloísa, no contexto cultural do século XII”. O romance entre Abelardo e Heloísa, num cenário medieval, pode ser visto no filme “Em nome de Deus” de Clive Donner. Posto que tais fatos impõem a compreensão dessas relações sociais e suas transformações, obras semelhantes são valiosas enquanto relatos do nosso “possível” histórico-social.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Marli Franco
Amigo Diamante
Amigo Diamante


Data de inscrição : 03/07/2009
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: O AMOR DO REVERENDO   Seg Jul 19, 2010 6:58 am



Damião

Querido Poeta mais uma bela crônica, rica em detalhes e com um toque bem ao teu estilo.
Apreciei muito conhecer o drama de Abelardo e Heloisa.



um beijo de violetas e meu carinho

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
O AMOR DO REVERENDO
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
ESPAÇO CULTURAL PARA OS AMANTES DA POESIA  :: VARANDA POÉTICA :: SALA DA PALAVRA :: Crônicas-
Ir para: