InícioPortalCalendárioFAQRegistrar-seConectar-se
Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Últimos assuntos
» Onde e Aonde
ANO NOVO EM TEMPO VELHO I_icon_minitimeQua Jul 06, 2011 7:17 am por Edvaldo Feitosa

» VENTO
ANO NOVO EM TEMPO VELHO I_icon_minitimeQua Abr 27, 2011 5:46 am por Odir, de passagem

» Quadra - Parabéns São Paulo
ANO NOVO EM TEMPO VELHO I_icon_minitimeTer Fev 08, 2011 2:28 am por Vilma Piva

» OUTONO - I - II - III
ANO NOVO EM TEMPO VELHO I_icon_minitimeTer Jan 25, 2011 2:55 pm por Vilma Piva

» FUGA / SOLIDÃO
ANO NOVO EM TEMPO VELHO I_icon_minitimeTer Jan 25, 2011 2:46 pm por Vilma Piva

» Folhas I
ANO NOVO EM TEMPO VELHO I_icon_minitimeDom Jan 23, 2011 9:38 am por Marli Franco

» Ausência
ANO NOVO EM TEMPO VELHO I_icon_minitimeDom Jan 23, 2011 9:35 am por Marli Franco

» DEUS NASCEU NO EXÍLIO
ANO NOVO EM TEMPO VELHO I_icon_minitimeSab Jan 01, 2011 5:21 pm por Vilma Piva

» COMIDAS DE ANO NOVO
ANO NOVO EM TEMPO VELHO I_icon_minitimeSeg Dez 27, 2010 3:01 am por Vilma Piva

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Fórum
Parceiros

Compartilhe
 

 ANO NOVO EM TEMPO VELHO

Ir em baixo 
AutorMensagem
Damião R
Convidado



ANO NOVO EM TEMPO VELHO Empty
MensagemAssunto: ANO NOVO EM TEMPO VELHO   ANO NOVO EM TEMPO VELHO I_icon_minitimeDom Dez 27, 2009 9:18 am

Damião Ramos Cavalcanti

ANO NOVO EM TEMPO VELHO

A mais misteriosa das categorias filosóficas é o tempo. Recebe várias definições que, mesmo somadas, não explicam definitivamente o que ele seja. Dentre elas, a mais simples é a de ser o tempo apenas uma convenção do homem, ao conceituá-lo como um fenômeno entre um “antes” e um “depois”.
Por outro lado, vivo a pensar que o tempo existe para se medir a vida. Com certa presunção, se não existíssemos para contar os dias, meses e anos, mensurando a extensão das nossas existências, quem o faria? A pedra, para saber os seus séculos? Seria o tempo uma mera convenção para colocar a existência humana entre esse “antes” e esse “depois”? Foi por causa dessas indagações que Luís Crispim e eu perdemos o pôr do sol numa das mesas do Golfinho, na Praia do Jacaré, na companhia de Adília. À boquinha da noite, saiu a conclusão de que não interessariam à pedra seus aniversários.
Que mal sucederia continuarmos chamando, por mais uns dias, 2010 de 2009? Mas, não. Ninguém aceita parar de contar horas e minutos e de gritar, logo depois da meia noite do 31 de dezembro, com euforia, abraços e brindes, a costumeira entrada de ano novo. E ainda mais desejando que o ano novo seja cheio de boas coisas, sempre melhores do que as do ano velho. Uns prometem o novo melhor do que o passado, baseados nos búzios, conchas e cartas; outros, com convicta certeza, explicam que o ano que termina com número par será sempre melhor do que o que termina com o número impar. Até poderiam recorrer ao determinismo grego de que haveria uma cronologia cíclica, em espiral, de idades dos metais, dos nobres aos de menor valia, e, de acordo com os seus valores, indicariam a felicidade no tempo: o período da idade do ouro seria mais feliz do que os das idades da prata, do bronze e do ferro.
Certamente o homem, ao tornar-se constantemente tal qual um grão de areia em relação à infinitude do tempo, fragmenta-o, subdividindo-o em séculos, anos, meses, dias, horas, minutos, segundos e átimos. Imagine-se perdido dentro de uma imensa floresta, 84 meses ou sete anos, quando seria o seu Ano Novo? O caro leitor também perderia as referências da necessária convenção e correlação das subunidades fracionárias do tempo. Pelo que se vê, o filósofo Santo Agostinho teria razão ao afirmar o predomínio, digo relativo, do homem sobre o tempo, de modo que é o homem que o põe sob medida e faz uso dele no espaço. Por isso, teria ele pensado ser o homem que faz o tempo, e não o tempo que faz o homem. Por consequência, seremos nós que faremos o ano novo feliz, se assim desejarmos Feliz Ano Novo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vilma Piva
Amigo Diamante
Amigo Diamante
Vilma Piva

Data de inscrição : 02/07/2009
Localização : Araras - SP

ANO NOVO EM TEMPO VELHO Empty
MensagemAssunto: Re: ANO NOVO EM TEMPO VELHO   ANO NOVO EM TEMPO VELHO I_icon_minitimeSeg Dez 28, 2009 3:38 am

DAMIÃO QUERIDO E IMORTAL POETA
O homem é dono do seu tempo!
Eis uma grande verdade trazida por sua brilhante reflexão sobre o tempo.
Sim, querido e imortal Poeta, que façamos uso dele ocupando espaços
durante um Ano Novo bem Feliz!!!

Parabéns por mais esse trabalho pensante, filosófico, instigante e merecedor de aplausos!!
FELIZ ANO NOVO!!!!

Beijos Lindos
Vilma
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



ANO NOVO EM TEMPO VELHO Empty
MensagemAssunto: Re: ANO NOVO EM TEMPO VELHO   ANO NOVO EM TEMPO VELHO I_icon_minitimeSeg Dez 28, 2009 6:44 am

Mestre Imortal Damião.


Tempus fugit; carpe diem! Sermos senhores do nosso tempo, sabermos dar bom uso e bem administrá-lo, independentemente da palavra ou expressão que melhor tenhamos achado para conceitua-lo, é fundamental para nosso bem viver!


Belíssima reflexão que nos leva a repensar uma série de atitudes em nossas vidas. Parabéns pelo primoroso texto!
Voltar ao Topo Ir em baixo
fernando cunha lima
Amigo Prata
Amigo Prata


Data de inscrição : 10/07/2009
Localização : João Pessoa

ANO NOVO EM TEMPO VELHO Empty
MensagemAssunto: Re: ANO NOVO EM TEMPO VELHO   ANO NOVO EM TEMPO VELHO I_icon_minitimeTer Dez 29, 2009 6:37 pm

Mestre Damiao aqui em Buenos Aires te lemos e aplaudimos Eu Astenio e roda turma, somente falta voce.fernando clima.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




ANO NOVO EM TEMPO VELHO Empty
MensagemAssunto: Re: ANO NOVO EM TEMPO VELHO   ANO NOVO EM TEMPO VELHO I_icon_minitime

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
ANO NOVO EM TEMPO VELHO
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Lexus LFA

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
ESPAÇO CULTURAL PARA OS AMANTES DA POESIA  :: VARANDA POÉTICA :: SALA DA PALAVRA :: Crônicas-
Ir para: