InícioPortalCalendárioFAQRegistrar-seConectar-se
Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Últimos assuntos
» Onde e Aonde
Qua Jul 06, 2011 7:17 am por Edvaldo Feitosa

» VENTO
Qua Abr 27, 2011 5:46 am por Odir, de passagem

» Quadra - Parabéns São Paulo
Ter Fev 08, 2011 2:28 am por Vilma Piva

» OUTONO - I - II - III
Ter Jan 25, 2011 2:55 pm por Vilma Piva

» FUGA / SOLIDÃO
Ter Jan 25, 2011 2:46 pm por Vilma Piva

» Folhas I
Dom Jan 23, 2011 9:38 am por Marli Franco

» Ausência
Dom Jan 23, 2011 9:35 am por Marli Franco

» DEUS NASCEU NO EXÍLIO
Sab Jan 01, 2011 5:21 pm por Vilma Piva

» COMIDAS DE ANO NOVO
Seg Dez 27, 2010 3:01 am por Vilma Piva

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Fórum
Parceiros

Compartilhe | 
 

 DESGRAÇAS NAPOLITANAS

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Damião Cavalcanti
Amigo Bronze
Amigo Bronze
avatar

Data de inscrição : 03/07/2009
Localização : JOÃO PESSOA - PARAÍBA

MensagemAssunto: DESGRAÇAS NAPOLITANAS   Dom Jan 31, 2010 10:44 am

Damião Ramos Cavalcanti

Explicou-me o taxista Genaro, a caminho de Herculano, que “se o sangue de São Genaro não se liquefizer na custódia, ocorrerão desgraças”. Curioso sobre esse propalado milagre do padroeiro napolitano, perguntei-lhe que desgraças seriam essas. A que respondeu, como se fosse lição de catecismo: “ – Uma das três desgraças: doença de morte, o Napoli perder o “scudetto” ou a erupção do Vesúvio”. Verifiquei que, hoje, a majestosa Pompeia parece ser indiferente ao temor de Genaro e ignorar o que lhe sucedeu em 24 de agosto do ano 79 depois de Cristo. Seus habitantes, de rica e prazerosa vida, foram tomados de surpresa por uma chuva de lavas e pedras quentes como o fogo, que variavam em centímetros até oito metros de tamanho, caídas a quilômetros do céu. E assim a cidade ficou soterrada por vários metros de depósitos vulcânicos até o século XVI, quando descoberta pelo arquiteto Domenico Fontana. Para sua história restaram, sob escombros, casas luxuosas, uma população abastada e de luxurias como nos conta Petrônio no seu romance Satyricon, e também a mãe que amamentava o filho, o cachorro preso à corrente e as três mulheres que oravam a Dioniso na Vila dos Mistérios, todos transformados em estátuas de pedra. Depois dessa maior tragédia, o Vesúvio voltou, trinta vezes, em menores violências, a expelir suas lavas de lama, fogo e gás letal.

Vi na mídia também indiferença nos olhares vagos do Haiti, caminhando nas ruas sem destino, caminhando por caminhar entre cadáveres estendidos na rua, sem saber aonde ir. Na verdade, é um povo sofrido de sugadoras colonizações, das quais herdou pouco sangue e coragem para se repor de pé e crescer. Sobre esta economia anêmica e promessa de transfusões, li neste Jornal que “o Haiti levará 25 anos para se recuperar”, enfrentando ameaça de possíveis abalos sísmicos, já quarenta vezes acontecidos naquela ilha.

Tal qual a população de Pompeia que, sem o temor de Genaro, voltou a viver no mesmo lugar, desafiando o Vesúvio, o povo haitiano, como que, por força, tivesse se habituado ao sacolejar dos terremotos, permanece na sua terra, reconstrói suas casas e caminhará mirando o seu solo, que já tremeu tantas vezes na sua história. E assim viverá à espera, como Genaro, da proteção divina. Afinal de contas, dessas catástrofes da natureza qual humano nos livrará? A esse respeito, com fé e esperança, nós, napolitanos e haitianos, jamais tomemos a Providência por acaso, tampouco consideremos o acaso, providência ou senhor da natureza.
Voltar ao Topo Ir em baixo
herculano alencar
Amigo Prata
Amigo Prata


Data de inscrição : 16/07/2009
Localização : São Paulo

MensagemAssunto: Re: DESGRAÇAS NAPOLITANAS   Dom Jan 31, 2010 6:00 pm

Crônica, com conteúdo filosófico, construída com maestria, sabedoria e cultura.

Leitura agradável e reflexiva.

Meu abraço fraternal e minha reverência, Damião.

Herculano
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
DESGRAÇAS NAPOLITANAS
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
ESPAÇO CULTURAL PARA OS AMANTES DA POESIA  :: VARANDA POÉTICA :: SALA DA PALAVRA :: Crônicas-
Ir para: