InícioPortalCalendárioFAQRegistrar-seConectar-se
Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Últimos assuntos
» Onde e Aonde
Qua Jul 06, 2011 7:17 am por Edvaldo Feitosa

» VENTO
Qua Abr 27, 2011 5:46 am por Odir, de passagem

» Quadra - Parabéns São Paulo
Ter Fev 08, 2011 2:28 am por Vilma Piva

» OUTONO - I - II - III
Ter Jan 25, 2011 2:55 pm por Vilma Piva

» FUGA / SOLIDÃO
Ter Jan 25, 2011 2:46 pm por Vilma Piva

» Folhas I
Dom Jan 23, 2011 9:38 am por Marli Franco

» Ausência
Dom Jan 23, 2011 9:35 am por Marli Franco

» DEUS NASCEU NO EXÍLIO
Sab Jan 01, 2011 5:21 pm por Vilma Piva

» COMIDAS DE ANO NOVO
Seg Dez 27, 2010 3:01 am por Vilma Piva

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Fórum
Parceiros

Compartilhe | 
 

 ENTRE SAMBISTAS E PEREGRINOS

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Damião Cavalcanti
Amigo Bronze
Amigo Bronze
avatar

Data de inscrição : 03/07/2009
Localização : JOÃO PESSOA - PARAÍBA

MensagemAssunto: ENTRE SAMBISTAS E PEREGRINOS   Ter Fev 09, 2010 10:10 am

Damião Ramos Cavalcanti


ENTRE SAMBISTAS E PEREGRINOS

Os pés que sambam não são os mesmos que peregrinam. Os cansados das mesmas vestes se despem para se fantasiarem e descansarem da fatigável rotina. Fugindo do convencional, dão o grito de liberdade, chamando-o de grito de carnaval. Cobertos pelo anonimato, os homens vão às ruas à procura de novas emoções. Escondem-se por trás das máscaras, simulam outro sexo ou dissimulam sua identidade. As mulheres, ao contrário, ostentam o que têm de belo, identificam-se cobertas apenas de purpurina. Os tamborins vão esquentando; os corpos, balançando-se, em movimentos sensuais como se fosse um ritual sagrado. No fim, virão as cinzas, pandeiros e tamborins silenciados, as garrafas vazias, as serpentinas desenroladas, as fantasias desgastadas e as lamentações dos excessos. Manifestam-se arrependimentos, decepções ou satisfação de que tudo valeu a pena. Depois da “quarta-feira ingrata”, nascem novos amores ou morrem romances apenas iniciados.
Os pés que peregrinam não são os mesmos que sambam. Fogem do barulho para lugares tranquilos, como Campina Grande, vista pelos carnavalescos como uma cidade vazia. Na estrada, como nos caminhos para Compostela, veem-se retirantes dos festejos momescos, portando turbante; outros, túnica branca; budistas, com vestimentas alaranjadas; alguns hippies fazendo contracultura, eos bíblicos, dos quais grande parte debulha as contas do rosário. Jovem que era andarilho, hoje é pregador. Outros, calmos, de olhar distante, misturam-se aos fanáticos de sua certeza. Enfim, todos formam uma rica miscelânea, uma caravana com o mesmo objetivo: usufruir a ambiência da Nova Consciência.

Depois dos debates e meditações, virão as cinzas; o silêncio do silêncio acompanhará esses meditativos, talvez imunes ao barulho, e suas condutas, ao frissonda sociedade. O carnaval, para eles, é um retiro para a tranquilidade, onde se busca a “consciência” de si mesmo, não importando por qual via religiosa. Busca-se o que os filósofos gregos, epicuristas e estoicos, afirmavam ser o único estado de felicidade e ápice da sabedoria: aataraxia, estado de equilíbrio e moderação, na escolha dos prazeres naturais e artificiais, até se chegar ao ideal de felicidade - a imperturbabilidade. Que esses bons pensamentos transformem o mundo de ganâncias, de falta de limites, atemorizado pela violência, e que seus bons fluidos atinjam todos nós, os que sambam e os que peregrinam
.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vilma Piva
Amigo Diamante
Amigo Diamante
avatar

Data de inscrição : 02/07/2009
Localização : Araras - SP

MensagemAssunto: Re: ENTRE SAMBISTAS E PEREGRINOS   Qua Fev 10, 2010 12:57 am

Damião querido Poeta,

Dois caminhos distintos, com suas caravanas de escolhas que deixam trilhas de suas certezas. Que cheguem até nós os bons fluidos para uma melhor consciência individual, coletiva e global.
Belissima crônica, Damião. Parabéns!!

Beijos Lindos,
Vilma
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
ENTRE SAMBISTAS E PEREGRINOS
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
ESPAÇO CULTURAL PARA OS AMANTES DA POESIA  :: VARANDA POÉTICA :: SALA DA PALAVRA :: Crônicas-
Ir para: