InícioPortalCalendárioFAQRegistrar-seConectar-se
Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Últimos assuntos
» Onde e Aonde
Qua Jul 06, 2011 7:17 am por Edvaldo Feitosa

» VENTO
Qua Abr 27, 2011 5:46 am por Odir, de passagem

» Quadra - Parabéns São Paulo
Ter Fev 08, 2011 2:28 am por Vilma Piva

» OUTONO - I - II - III
Ter Jan 25, 2011 2:55 pm por Vilma Piva

» FUGA / SOLIDÃO
Ter Jan 25, 2011 2:46 pm por Vilma Piva

» Folhas I
Dom Jan 23, 2011 9:38 am por Marli Franco

» Ausência
Dom Jan 23, 2011 9:35 am por Marli Franco

» DEUS NASCEU NO EXÍLIO
Sab Jan 01, 2011 5:21 pm por Vilma Piva

» COMIDAS DE ANO NOVO
Seg Dez 27, 2010 3:01 am por Vilma Piva

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Fórum
Parceiros

Compartilhe | 
 

 No jardim um sollo de cello

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Marli Franco
Amigo Diamante
Amigo Diamante


Data de inscrição : 03/07/2009
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: No jardim um sollo de cello   Ter Jun 01, 2010 9:25 am




O som vem de mansinho... Leve como asas de borboletas, e vai assim voando na prosa do violoncelo brincando no meu jardim de ébano...

Deslizando como coloridos mosaicos sons leves pasteis. Leves tintas na brisa caindo em notas no meu ser...

Leves como pássaros amarelos, o arco desliza nas cordas suavemente, docemente... Muito docemente...
Olho a minha volta e sinto as quatro cordas do som na cor das rosas e jasmins, variantes das claves, o tudo dos lírios e o mundo das oitavas falas. O principio do instrumental até o fim do solo perfeito.
No meio da complexidade das cordas a vibração do sentir, que chamam as hortelãs para mergulharem e voltar o meu centro. O profundo da minha harmonia, na consonância.

O ar torna suspiro novamente rarefeito e tão suave é meu corpo no ostracismo do som aperolado...
O templo de tons de aquarelas e pautas acrílicas, além delas existe a muralha de brumas intransponíveis...

Muralha construída de pedra em pedra ao som do monstro. Sangrando as mãos em cada bloco de oitava erguido, bem niveladas, no ponto certo afinadas, no limiar perfeito e alto, alto até o infinito transparente do meu desejo...

O meu mundo esta assim de bem comigo de onde gera o meu cello poético.
O ventre da natureza canta o nascer e renascer, me toca com as notas livres da música, como asas de mosaicos voando no meu jardim particular, flores muitas em cada acorde me carregam na infinitude dos sentimentos.

Noite de doce calor, primaveril com cordas me falando segredos afinados em quintas. Purifico e me alegro neste concerto do meu jardim , voam as minhas verdades ...
Voa minha saudade...

Voa a nostalgia sensível é ela que me faz etérea...

Tudo leve, tudo suave...

Eu e um solo de doce cello.






....
.


Última edição por Marli Franco em Ter Jun 01, 2010 9:40 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vilma Piva
Amigo Diamante
Amigo Diamante
avatar

Data de inscrição : 02/07/2009
Localização : Araras - SP

MensagemAssunto: Re: No jardim um sollo de cello   Qui Jun 10, 2010 7:36 am

Marli, querida Poetisa,

Nas flores dos sentimentos
pétalas da tua música
faz prosa com a natureza
e a encanta de poesia.

Beijos Meus,
vilma
Voltar ao Topo Ir em baixo
Marli Franco
Amigo Diamante
Amigo Diamante


Data de inscrição : 03/07/2009
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: No jardim um sollo de cello   Qui Jun 10, 2010 9:56 pm

Vilma

Querida Poeta gracias pela presença e comentário nesta minha repostagem.
É sempre um incentivo receber tuas gentis palavras .

um beijo de violetas e meu carinho
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: No jardim um sollo de cello   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
No jardim um sollo de cello
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
ESPAÇO CULTURAL PARA OS AMANTES DA POESIA  :: VARANDA POÉTICA :: SALA DA PALAVRA :: Prosas Poéticas-
Ir para: